Azeite • Oleuropeína

Na lista de alimentos queridinhos dos pesquisadores e nutricionistas está o azeite. Um dos seus principais componentes – a oleuropeína, ganha cada vez mais destaque como componentes de medicações com diversas finalidades além de ser importante na alimentação equilibrada para a prevenção de males cardiovasculares e osteoporose.

Oleuropeína e osteoporose
A oleuropeína é encontrada em azeite de oliva extravirgem e na azeitona. Seu consumo tem sido promovido, pela descoberta há poucos anos de que ela contribui para aumentar a quantidade de osteoblastos, células envolvidas na formação de tecido ósseo. Hoje a substância se apresenta tão importante quanto o próprio cálcio.
A ideia é que o azeite esteja presente na alimentação com regularidade, principalmente na fase de redução maior da produção natural dos osteoblastos, com o envelhecimento e nas mulheres, após a menopausa.

Oleuropeína e o coração
Um benefício já estudado há muitos anos do azeite é em relação ao perfeito funcionamento cardiovascular. Segundo o dr. Raul Dias Santos, cardiologista, consultor do Centro de Medicina Preventiva Einstein e professor livre docente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em matéria no site do Einstein, o consumo de azeite está associado a baixos níveis de colesterol ruim (LDL), aquele que prejudica o coração. As pesquisas mostram que o consumo usual ajuda a equilibrar os níveis de colesterol no sangue, ou seja, enquanto diminui o ruim, aumenta o bom”, explica o dr. Raul.
O azeite consegue reduzir a formação de que são responsáveis por entupir os vasos sanguíneos e artérias.

Azeite_Oleuropeína_1

Alimentação
Para incluir na alimentação, vale uma pesquisa na culinária mediterrânea que aproveita o azeite como um dos principais ingredientes, o incluindo em verduras, legumes, frutas e peixes. Além disso os pratos são em geral livres de gorduras prejudiciais ao organismo e, principalmente, privilegiam alimentos benéficos como o peixe e o vinho.

Azeite_Oleuropeína_3 Azeite_Oleuropeína_2

Com informações – www.einstein.br
Fotos: flickr – riccardo bruni – Rene Schwietzke