É natural, mas tenha cautela • Salmão

No segundo post da nossa série “É natural, mas tenha cautela”, falarei sobre o delicioso salmão. Lembrando que para começar essa serie, me inspirei na matéria feita pela revista Marie Claire americana sobre alimentos que mesmo que sejam naturais, precisam ser ingeridos com moderação e não de forma desenfreada.

Salmão

O salmão é o queridinho de muitos médicos, nutricionistas, profissionais da área da saúde e claro, dos pacientes! E não é à toa: o alimento é conhecido como um dos mais saudáveis e é rico em Ômega 3, Selênio, vitamina B12 e proteínas, além de ser um peixe muito saboroso e que pode ser preparado de diversas formas, como assado, cozido, cru no sushi, sashimi ou na salada. Mas vá com calma! O salmão contém mercúrio e é capaz de atingir o sistema nervoso, causando danos no cérebro, coração, rins, pulmões e sistema imune. Em especial nas mulheres grávidas, que são aconselhadas a limitar o consumo de Salmão, pois o mercúrio ultrapassa a barreira placentária, podendo causar danos na formação do bebê.

Isso não significa que você deve parar de comê-lo, pelo contrário, basta apreciá-lo com cautela! A notícia boa é que o salmão é considerado um peixe de baixo teor de mercúrio e você pode ingeri-lo com segurança duas vezes por semana em porções de tamanho padrão.

Lembre-se sempre que para esclarecer suas dúvidas sobre o alimento, não há ninguém melhor do que o seu endocrinologista ou nutricionista para te ajudar e indicar a porção certa para você!

é-natural-mas-tenha-cautela-salmão

Foto: Flickr - Jeremy Keith