Timidez e introspecção também combinam com dança

Resolvi compartilhar aqui uma conversa que tive coma bailarina e professora Anna Paula Martins do Estúdio Anacã sobre como a dança pode ser uma forma de se apegar à atividade física.

Histórias sobre timidez e a dança
Ela me contou a história de uma amiga, profissional de uma área super séria, e dona de uma personalidade mais reservada, com traços de timidez e bem introspectiva. Essa amiga fazia Pilates, mas precisava de encontrar algo para ajudá-la a queimar calorias e para sentir o famoso bem-estar que vêm da prática de exercícios físicos – aeróbios, principalmente. E foi assim que a Anna apresentou para ela a possibilidade da dança como forma de atividade física. A princípio, a Anna disse que a ideia teve uma certa resistência, a amiga nunca tinha se adaptado aos ambientes de academia, então ela apresentou algumas “razões para acreditar” que listo aqui:

• Dança é um temo geral, mas é possível fazer não apenas aulas de estilos de dança, mas também aulas que se inspiram nos movimentos de dança;
• As turmas geralmente são exclusivamente femininas, o que pra muitas mulheres é mais confortável;
• A dança, e mesmo o ballet, é coisa de adulto também, foi-se o tempo em que existiam apenas classes para crianças e adolescentes;
• Qualquer tipo de atividade física com trabalho aeróbico gera perda de caloria e o principal para uma vida equilibrada – liberação de endorfina!

O resultado foi uma adaptação super rápida da amiga às aulas de ballet, que ela já havia frequentado na infância, um reencontro com a rotina da prática de uma atividade física e o prazer de ter o corpo em movimento!

bia manhas site

Para saber mais sobre o estúdio Anacã:
www.estudioanaca.com.br

Foto: www.carmencampos.com