Fitness Trends • Mini trampolim

O mini trampolim ou rebounder ou ainda jump foi um acessório que ganhou muito destaque nas academias brasileiras em 2010/2011. Aulas chamadas de jump ou qualquer derivado do verbo pular em inglês surgiram como uma proposta de aliar o trabalho de condicionamento físico ao de queima calórica. Esse tipo de classe que usa exclusivamente o acessório foi criado na Europa por volta de 2001. Mas com tantas novidades, ele ficou fora dos principais holofotes de atenção nesses dois últimos anos, mas nas recentes pesquisas de fitness trends, há quem diga que voltarão a ser estrelas ou grandes complementos desse enorme universo de possibilidades fitness.

Estados Unidos
No site do jornal norte-americano Today.com, o mini trampolim é apontado como uma das três apostas fitness do verão que chega aos Estados Unidos. O site aponta a possibilidade de ter o próprio mini trampolim em casa, pois defende a teoria de que as novas tendências fitness mostram que cada vez mais a atividade física está sendo inserida na rotina independente do tempo disponível. “Você não tem uma hora, que tal 10 minutos, cinco minutos?”
Há quem também aposte cada vez mais nas aulas variadas, partindo do sucesso, por exemplo,  dos treinos de alta intensidade High-Intensity Interval Training (HIIT) e da nova cultura de circuito que se instalou entre os praticantes de atividades físicas. E aí o mini trampolim entra como um importante complemento que garante o ritmo, fortalecimento dos músculos do core e equilíbrio.

França
O mercado fitness teve um representativo crescimento na Franca nos últimos anos, o país é bem diferente dos Estados Unidos e mesmo do Brasil com relação aos cuidados com o corpo. Deles temos grandes lições a aprender sobre o equilíbrio na alimentação, mas os franceses não consideravam até alguns anos atrás o fitness como uma opção de estilo de vida, já que culturalmente fechar-se em uma academia, por exemplo não era uma coisa comum nem apreciada. Globalização, alimentos insdustrializados… vários motivos podem ser apontados para um aumento do interesse dos franceses por aulas, principalmente métodos e programas. E um grande sucesso por lá é o programa Ubound, que tem o mini trampolim como estrela. Uma curiosidade é que este método foi criado pela brasileira Cida Conti, representante do grupo argentino Radical Fitness no Brasil. Por aqui, chama-se JumpFit e foi um dos primeiros a difundir o mini trampolim.

mini trampolim fitness 2015

Cuidados
Os pulos no mini trampolim tem como principal atrativo o menor impacto nas articulações, mas ainda assim, o acessório não deve ser utilizado de forma excessiva. É interessante ter muito cuidado ao sair da plataforma, concentrar os pulos no centro para evitar pisar nas costuras e nas molas da bordas. Como qualquer tipo de atividade, é muito bom poder contar com a ajuda de algum especialista, e para quem não pratica nenhum tipo de exercício, um médico deve ser consultado antes de mais nada.