Dicas para diminuir o consumo de sal no dia a dia

Uma das primeiras coisas que um médico seja ele nutricionista ou não pede para você fazer é controlar o consumo de sal e o açúcar, não é? Recebemos algumas dicas da Elizabeth Vargas, nutricionista da Unilever, para conseguir controlar e entender melhor o consumo de sal no dia a dia.

Atitudes simples podem ser adotadas, como ler os rótulos, optar por alimentos com menos sódio e escolher bem os temperos utilizados no preparo das refeições. “Cada vez mais as pessoas se preocupam em cuidar da saúde. Ainda assim, não querem abrir mão do sabor e acabam adicionando mais sal à comida”, explica Elizabeth.

• Sempre experimente a comida antes de acrescentar mais tempero, durante a preparação. Ela pode já estar saborosa e você não se deu conta disso;
• Retire o saleiro da mesa, pois isso ajuda a reduzir a vontade de colocar sal no prato;
• As pessoas estão acostumadas com uma quantidade elevada de sal e podem estranhar se a redução for drástica. Então, procure diminuir gradualmente, pois isso ajuda a se acostumar;
• Quando utilizar temperos em pó ou caldo, não adicione sal. Esses produtos já possuem a quantidade suficiente para deixar a comida saborosa, dispensando o uso de mais tempero.

Quadro perigoso
Você sabia que a cada dia, o brasileiro consome em média 12 gramas de sal? Esse volume é considerado alto pela Organização Mundial da Saúde, que recomenda apenas 5 gramas diários. O uso excessivo deste tempero é indicado como um dos principais responsáveis pelo aumento dos casos de hipertensão arterial sistêmica, doença que já atinge mais de 30 milhões de pessoas no País e que está relacionada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares – hoje, a principal causa de mortes entre os brasileiros, de acordo com o Vigitel 2015.

Você sabia que a cada dia, o brasileiro consome em média 12 gramas de sal? Esse volume é considerado alto pela Organização Mundial da Saúde, que recomenda apenas 5 gramas diários. O uso excessivo deste tempero é indicado como um dos principais responsáveis pelo aumento dos casos de hipertensão arterial sistêmica, doença que já atinge mais de 30 milhões de pessoas no País e que está relacionada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares – hoje, a principal causa de mortes entre os brasileiros, de acordo com o Vigitel 2015.

Com informações da Unilever.
foto: Flickr Michael Fötsch